quinta-feira, 6 de junho de 2013

Deg amigos da Deloitte: A favor ou contra um mundo melhor?

O livro escolhido para inaugurar o "Clube do Livro dos amigos da Deloitte" foi o  Contra um mundo melhor - Ensaios do Afeto, de Luiz Pondé.


Theron, Ana Karina, Othon, Carmem, Renata, Leny e Cris.

O autor, mais conhecido como filósofo e articulista da Folha de São Paulo, emerge de seu mundo cinzento, movido pela crítica e controvérsia. Fã de Nietzsche, propõe a crítica como  ruptura e despertar do pensar. No entanto, preza pelo conservadorismo e a sinceridade crua. Ri dos hipócritas.



Carmem Gonçalves lendo para todos.

A experiencia de ler um texto assim, principalmente, para os otimistas do grupo, como eu, foi bem interessante. Á princípio, recusamo-nos a compreender seu ponto de vista,  no entanto aos poucos as razões foram ganhando sentido e a digestão ficou saborosa.


Nossa colheita.

Publico abaixo, a colheita de todos segundo o olhar de Pondé:

Buscar um mundo melhor, um sentido para viver? Não há sentido fora, só dentro. O sentido é viver.
A vida não é justa, não é um videogame. Fazer tudo certinho, não é garantia de sucesso!
A finitude da vida é inevitável. Você vive de verdade o que, realmente, quer fazer?


Ana Karina Guimarães

Manifeste-se no presente. Fale, diga o que pensa e sente. 
Viva a sua alma imoral. Reconheça as dores.


Theron Morato

A virtude dos antigos era controlar as vontades, os valores da atualidade são            " apenas" escolhas, sem sofrimento ou empenho.
É na falta,  que se estabelece a presença.


Sincronicidade existe? Ou eu crio? Jogue para o universo e confie.
Otimista? Seja realista e conecte-se com sua alma.
A alma lê-se nos olhos.

O que faria se não precisasse de dinheiro?
Atitudes certas ou erradas?
Experimente o ócio produtivo.

A vida só gosta de quem gosta dela.
Antes de amar alguém, ame a si próprio.

O que te motiva?
Vem de dentro, é um desejo. Busca de autorrealização, mas com reconhecimento. Incluo aqui a citação de Cortella : o trabalho só terá significado se proporcionar reconhecimento e o sentimento de fazer parte de uma obra. 
Escolhas feitas por conta própria, sem interferência de terceiros, sejam boas ou más, não nos arrependemos. Não fazer escolhas, delegar a escolha, também é uma escolha.




Carmem Gonçalves e Renata Muramoto, 
divertindo-se contra um mundo melhor!

"Máxima" da noite:
Fomos feitos para cair, se não teríamos três pernas! rs

Neste encontro, lemos até a página 70. No próximo encontro, que já está marcado para o dia 18/7, leremos o restante do livro para compreender um pouco mais as profundezas do pensamento de Pondé!

2 comentários:

  1. Penso que fomos feitos para aprender o equilíbrio dinâmico -- VIVER com consciência--, por isso temos apenas duas pernas...

    ResponderExcluir
  2. Carmem Gonçalves12 de junho de 2013 20:02

    Olá Flavia,
    Adorei a noite! Foi super agradável ser contra um mundo melhor! Rsrsrsrs
    Muitos conceitos para pensar e muita curiosidade para continuar a leitura!
    Estou ansiosa para nosso próximo encontro.
    Beijo
    Carmem

    ResponderExcluir